História | Colégio de São Bento

História

História

2001 – 2010

Convite para a exposição comemorativa sobre a história do colégio Passado, Presente na Memória.

A última década foi marcada pelo fim dos 46 anos de reitoria de Dom Lourenço. O aclamado educador retirou-se para cuidar de sua saúde e foi substituído por Dom Mathias Fonseca (2001), em seguida Dom Tadeu de Albuquerque assumiu a reitoria (2003) e atualmente quem ocupa o cargo é Dom Miguel da Silva Vieira (2010). O ano de 2008 foi comemorativo do sesquicentenário do Colégio de São Bento com vários eventos culturais e espirituais e encerrado com uma exposição sobre a história do Colégio que ainda pode ser vista. A efervescência do período também pode ser confirmada pelos primeiros lugares obtidos nas provas do Enem de 2005, 2007 e 2008 e ainda pelo sucesso do BenetLAC (2009), um encontro de representantes dos colégios beneditinos da América Latina e do Caribe para troca de informações e experiências da aplicação das regras de São Bento aos seus projetos educacionais. Nesta edição o tema central que orientou as discussões foi o documento da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil sobre a educação, conhecido como Documento de Aparecida.

1971 – 2000

Vista aérea do Colégio de São Bento e Mosteiro, anterior à demolição da Casa Mauá em 1983

O atual prédio que abriga o Colégio de São Bento foi inaugurado em 1971. O edifício da Rua Dom Gerardo, onde funcionava o Ginásio foi ocupado pela Administração do Mosteiro, como é até hoje. O prédio de inspiração modernista foi projetado pelo arquiteto e ex-aluno do CSB, Mauro Guaranys. Sua construção envolveu nomes como o de Lúcio Costa e rendeu discussões com órgãos públicos como o Iphan. O prestígio da educação beneditina seguiu em ascensão, com altos índices de aprovação nos maiores vestibulares do país.

1930 – 1970

Aula de Educação Física em 1931

A educação beneditina se expande no Rio de Janeiro com o aluguel de uma casa na ilha de Paquetá para abrigar o internato (1936) que irá se estabelecer definitivamente no Alto da Boa Vista em sede própria (1939). Para melhor atender seus alunos, o tradicional serviço de ônibus começa em 1932. A década de 1950 foi marcada pelo início da mais longa reitoria do CSB: a de Dom Lourenço de Almeida Prado (1955-2001). Foi sob sua administração, que o colégio adquiriu fama e respeito em níveis nacionais.

1900 – 1929

Vista frontal da Igreja com prédio do antigo ginásio à esquerda, inaugurado em 1904 e demolido na década de 1970.

O século XX chega com grandes mudanças para a instituição. Já em 1904, foi construído um prédio para abrigar o Externato, que neste mesmo ano passou a se chamar Ginásio de São Bento. Já preocupados com os problemas sociais de nossa cidade, os monges resolveram atender ao público de menor renda e de ocupação diurna. Assim surgiram a Escola Noturna São José (1908), a Escola Popular (1912) e o ensino formal e profissionalizante na Fazenda Três Poços para meninos pobres de Campos dos Goitacazes (1923). O período de mudanças estruturais culmina com a inauguração do novo edifício do Ginásio de São Bento no número 42 da rua Dom Gerardo (1929).

1858 – 1899

Matrícula do 1º aluno: Francisco José Ferreira Villaça, que se tornou monge e após sua morte obteve fama de santidade

Foi no curso de um período bastante difícil para a Igreja Católica no Brasil que Dom Frei Luis da Conceição Saraiva fundou o Colégio de São Bento, chamado inicialmente de Externato de São Bento. Em seu primeiro ano de funcionamento, contou com cerca de 500 alunos que estudavam gratuitamente nos cursos Primário, Secundário ou Teológico. Durante este período, nomes como Coelho Neto, Antonio da Silva Jardim e Clóvis Bevilacqua frequentaram os bancos do Colégio.